Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Cerimônia Ortodoxa
Cerimônia Ortodoxa

Cerimônia Ortodoxa

No ritual do casamento ortodoxo, os padres usam paramentos e trajes bizantinos. A cerimônia apresenta riqueza no ritual. A igreja ortodoxa foi fundada na era do patriarca Alexandre III e de seu vigário Arquimandrita Isaias Abbud em MCMXXXIV, e consagrada pelo patriarca Elias IV e o metropolita Ignátios Ferzli em MCMLXXVII.

A cerimônia do casamento é cantada e realizada por cinco padres em três idiomas: português, árabe e grego. O padre celebrante abençoa o casal e as alianças e, após fazer com as alianças o sinal da cruz sobre o casal, coloca-as em suas mãos que sejam estão unidas. A oração nesse momento pede a Deus que os uma “num mesmo coração”, pois por si mesmos, os recém-casados são incompletos. Juntos é que eles se tornam perfeitos. A coroação é o ponto máximo da cerimônia e é conhecida como o Rito da Coroação. As coroas são símbolos de glória e honra, com as quais Deus coroa o casal durante o sacramento. O noivo e a noiva são coroados como rei e a rainha em seu próprio e pequeno reino: a casa que eles governarão com sabedoria, justiça e inteligência. No decorrer da coroação, o sacerdote pega as coroas e as suspende sobre os noivos e diz: “Ó Senhor, nosso Deus, com Glória e Honra coroa-os”. Alguns interpretam ou relacionam as coroas usadas nas cerimônias ortodoxas de casamento como as coroas de martírio, uma vez que o verdadeiro matrimônio envolve imensurável sacrifício pessoal de ambas as partes. São lidos a Epístola e o Evangelho descreve o casamento em Canaã da Galiléia, o qual teve a presença e a benção de Cristo e para o qual ele reservou seu primeiro milagre.

Lá, ele transformou a água em vinho e deu para os recém-casados. Em lembrança dessa graça é dado vinho ao casal. Isso é a “comunhão” da vida marcando a participação mútua na alegria e na dor. O beber do vinho da comunhão serve para o casal gravar que a partir daquele momento eles compartilharão tudo em suas vidas. Suas alegrias serão somadas e suas tristezas divididas, pois estarão unidos. A procissão – o sacerdote conduz o casal em três voltas ao redor do analói: mesa na qual estão colocados o Evangelho – que contém a palavra de Deus – e a Cruz – símbolo da nossa redenção.

A Igreja, na pessoa do sacerdote, os conduz pelo caminho em que devem andar, simbolizado pelo círculo do centro do qual está o Santo Evangelho, uma perfeita órbita ao redor do centro da vida cristã, Jesus Cristo e seus ensinamentos.

São três voltas que honram e glorificam a Santíssima Trindade. O Deus Tri-Uno, no sentido anti-horário, por ser Ele eterno, para que sua eternidade encontre reflexo na união dos esposos.